Logotipo do Grupo

Apresentação

O Grupo Radioactividade Ambiente (GRA) combina a sua actividade de investigação centrada nos ciclos biogeoquímicos dos radionuclidos naturais e artificiais no ambiente nomeadamente, nos meios atmosférico, aquático e terrestre, com a execução dos programas anuais de monitorização radiológica ambiental e a prestação de serviços à comunidade (determinação da concentração de radão em edifícios, determinação da radioactividade em águas para consumo humano, etc.).

Estação de aerossóis (HiVol 3000) para monitorização da radioactividade atmosférica no Campus do ITN (54 kb, jpg).
Estação de aerossóis (HiVol 3000) para monitorização da
radioactividade atmosférica no Campus do ITN.


1. Principais Actividades

  • Assegurar o cumprimento do Decreto Lei nº 138/2005 (pdf, 347 Kb), de 17 de Agosto, com a realização dos três programas anuais de Monitorização Radiológica Ambiental: a Nível Nacional, no CTN (Sacavém) e, nas Regiões Envolventes às Antigas Minas de Urânio. Os objectivos destes programas são:
      a) Determinar as concentrações dos radionuclidos naturais e artificiais no ambiente (ex. aerossóis, água da chuva, água de superfície, água para consumo humano, sedimentos, material biológico, produtos da cadeia alimentar, solos, etc.) de modo a limitar a exposição da população às radiações ionizantes;
      b) Verificar se esses valores estão em conformidade com a legislação nacional (ex. Decreto-Lei nº306/2007 de 27 de Agosto) e com as Directivas da Comissão Europeia e Tratados Internacionais (ex. Artigos 35 e 36 do Tratado EURATOM).
  • Realizar ensaios de radioactividade baseados em métodos normalizados e/ ou desenvolvidos e validados pelo GRA, dando cumprimento aos requisitos descritos na Norma NP EN ISO/IEC 17025, no âmbito do Sistema de Qualidade;
  • Participar periodicamente em ensaios de comparação interlaboratoriais organizados por organismos internacionais [Agência Internacional de Energia Atómica (IAEA), União Europeia (CE), Consejo de Seguridad Nuclear (CSN), Organização Mundial de Saúde (OMS), etc.];
  • Assegurar a operação da estação de radionuclidos (RN53) sediada em Ponta Delgada (Açores) no âmbito do Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares (CTBT);
  • Participar em comités técnico-científicos organizados pela Agência Internacional de Energia Atómica e pela Comissão Europeia;
  • Participar em acções de educação e treino (palestras, cursos de formação, cursos de mestrado, orientação de teses, etc).

Projectos em curso:

  • Contribuição da combustão de biomassa para a emissão de poluentes atmosféricos (BIOEMI). PTDC/AMB/65706/2006. Investigador Responsável (CTN): F.P. Carvalho.
  • Participação no projecto educativo no âmbito das ciências ambientais CAPTAR, baseado na web (Web site: http://captar.web.ua.pt). Investigador Responsável (CTN): F.P. Carvalho.
  • Variabilidades da coluna total e da concentração superficial de ozono na Península Ibérica: factores da dinâmica e da química da atmosfera (DYNOZONE). PTDC/CTE-ATM/105507/2008. Investigador Responsável (CTN: M. Reis).

2. Prestação de Serviços

Medição do radão no interior das habitações (13 kb, jpg).
  • Determinação da concentração de radão no interior de edifícios públicos e locais de trabalho (Decreto-Lei 78/2006 de 4 de Abril; NT-SCE-02, Outubro 2009) e no interior de habitações. Este serviço é também prestado no âmbito do protocolo estabelecido entre o CTN e a Deco-Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor.

Além deste, o GRA em colaboração com os Laboratórios de Medida disponibiliza os seguintes serviços:

  • Determinação das concentrações em actividade alfa total, beta total e trítio em águas para consumo humano (Decreto-lei 306/2007 de 27 de Agosto), águas minerais, etc.;
  • Determinação da concentração de radão e 226Ra em águas por cintilação líquida;
  • Determinação da concentração de radionuclidos das famílias naturais do urânio (ex. 238U, 226Ra, 210Pb, 210Po) e tório (232Th) em águas por espectrometria alfa;
  • Determinação da concentração de radionuclidos naturais (ex. 238U, 226Ra, 210Pb, 210Po) e artificiais (90Sr) em produtos da cadeia alimentar por espectrometria alfa e por cintilação líquida, respectivamente.

Poderão recorrer a estes serviços todos os cidadãos, instituições públicas (autarquias, etc.), instituições privadas ou quaisquer outras entidades.

Como contactar? dprsn.secretariado@itn.pt


3. Equipamentos e Infraestruturas

Laboratório do Trítio.
  • Laboratório de Radionuclidos Artificiais em Águas (LRAA);
  • Laboratório do Trítio (LT);
  • Laboratório de Radionuclidos Naturais e Artificiais em Alimentos (LRNAA);
  • Laboratório de Radionuclidos Naturais em Águas (LRNA);
  • Laboratório de Manuseamento de Fontes Radioactivas (LMFR);
  • Laboratório de Radionuclidos na Atmosfera (LRA);
  • 2 Laboratórios de Radionuclidos Emissores Alfa (LREA);
  • 2 Laboratórios de Radioecologia Experimental;
  • 2 Laboratórios para preparação de amostras.

Laboratório do Trítio.


- - - - - - - - - - Membros da Equipa - - - - - - - - - -