Portas Abertas

Dia de Portas Abertas 1999




PROGRAMA

Apresentação (anúncio da inicativa)

I. Dia de Portas Abertas (04-11-1999)

O Instituto Tecnológico e Nuclear (ITN) é um laboratório de Estado na dependência do Ministério da Ciência e da Tecnologia. Tem como objectivo principal a investigação científica e o desenvolvimento experimental em particular nos domínios das aplicações pacíficas da radiações e dos radioisótopos e da protecção contra radiações ionizantes.

Neste dia de Portas Abertas, pretende-se dar a conhecer aos visitantes as actividades que se desenvolvem no Instituto através de um contacto directo com os investigadores no seu local de trabalho. Após uma breve recepção, organizar-se-ão grupos de visitas guiadas aos Departamentos de Física, Química, Protecção Radiológica e Reactor. As principais infraestruturas a visitar são:

  • O Reactor Português de Investigação
  • O Acelerador Van-de-Graaff e o Implantador
  • A Unidade de Tecnologias de Radiação (fonte de cobalto)

Durante a visita estão montadas experiências simples que permitem "descobrir" radiações, estudar algumas das suas propriedades e tirar partido da sua existência. Às 11 horas haverá uma sessão pública de apresentação do ITN, com a duração aproximada de 30 min, pelo Presidente do Conselho Científico sob o tema: "O InstitutoTecnológico e Nuclear no Sistema Técnico-Científico Nacional".

Depois da exposição realizar-se-à uma visita ao Instituto.

Informações:
Secretariado do ITN
Tel 219946000, e-mail: seccd@itn1.itn.pt

II. Semana da Ciência e da Tecnologia (22 a 27-11-1999)

Oferta de temas de palestras a realizar em Escolas do Ensino Secundário.

As Escolas interessadas numa palestra devem contactar directamente os proponentes para combinar o dia e hora da sua realização.

PALESTRAS

1. "À Descoberta das Radiações" (José Salgado e Eduardo Martinho)
As radiações são nossas companheiras no dia a dia. A radioactividade e as radiações emanadas de nuclidos radioactivos existiam na Terra mesmo antes de a vida ter surgido à sua superfície. Os materiais radioactivos fazem parte da Terra desde a sua formação, os raios cósmicos banham-nos continuamente e, por isso, desde que apareceram à superfície da terra os primeiros hominídeos, a sua evolução foi sujeita à acção da radiação natural, num ambiente mais radioactivo que o presente. No seu longo caminhar o Homem foi-se descobrindo e desvendando os mistérios da natureza. Tem sido longa a aprendizagem. Só no fim do século passado foram descobertas a radioactividade natural e as radiações ionizantes. Uma nova era foi criada, beneficiando a humanidade em várias áreas. Hoje, às radiações naturais, juntam-se as que o Homem produz (as radiações artificiais). Quem desconhece as vantagens de uma radiografia ou de uma tomografia? E os reactores nucleares produzem cerca de 37% da energia eléctrica consumida na União Europeia. Mas, simultaneamente, como em todas as etapas da evolução humana, riscos acrescidos acompanharam o progresso tecnológico.
É preciso conhecer as radiações. Vamos a isso!…

Marcação: José Salgado ou Eduardo Martinho
Tel: 219 946000 ou e-mail: jsalgado@itn.pt

2. "As radiações. Para que servem?" (Carlos Oliveira e António Falcão)
As radiações estão à nossa volta e são essenciais à vida. Ao longo do tempo o homem foi-as descobrindo, aprendendo a viver com elas, a proteger-se delas, a produzi-las e a utilizá-las. Hoje em dia, muita da radiação que nos rodeia é produzida pelo homem para a utilizar. Em aplicações tão comuns como em radiografias ou tomografias (medicina), na produção de energia (indústria), na irradicação de pragas e na preservação de alimentos (agricultura), na datação (arqueologia), na detecção de incêndios e até mesmo na prevenção de sismos, se tira partido das radiações. E na ciência …, e na … Enfim, vamos lá a saber para que servem as radiações.

Contacto: Carlos Oliveira ou António Falcão
Tel: 21 994 60 00 ou e-mail: falcao@itn.pt, coli@itn.pt

3. "Radioprotecção" (R. Trindade)
Há muitos anos que o Homem manipula substâncias radioactivas de origem natural ou artificial. São hoje conhecidos alguns efeitos (bons e maus) provocados pelas radiações ionizantes nos seres vivos e nos materiais. A radioprotecção ou protecção contra radiações ou ainda protecção radiológica apareceu com o objectivo de proteger o Homem contra as radiações ionizantes sem, no entanto, limitar os benefícios que resultam da sua utilização em diversos domínios (medicina, indústria, investigação, etc.).

Como podemos proteger-nos das radiações e, em simultâneo, utilizar fontes radioactivas? O que é uma irradiação e uma contaminação? Como se detectam as radiações? Que cuidados devemos observar? Que regras ou princípios devemos cumprir? É sobre tudo isto que podemos conversar.

Contacto: Romão Trindade
Tel. 21 994 60 00 ou e-mail: romao@itn.pt

4. "Compostos radioactivos e suas aplicações nas Ciências da Saúde" (Paulo e J. Correia)
A utilização de medicamentos é uma das principais estratégias utilizadas em Medicina para debelar doenças e restabelecer o estado de saúde dos seres humanos. No entanto, para que um médico possa diagnosticar a doença e prescrever a terapia correcta necessita, na maior parte das vezes, de recorrer a meios auxiliares de diagnóstico. Quando se fala destes meios vêm imediatamente à ideia as análises clínicas e as radiografias. Há, no entanto, outros meios que fazem uso da radiação emitida por compostos radioactivos que são injectados intravenosamente nos doentes. Estes compostos, designados por radiofármacos, acumulam-se preferencialmente nos orgãos ou tecidos afectados e emitem radiação, gerando "mapas coloridos" que permitem aos clínicos identificar as zonas doentes do organismo. O desenvolvimento de novos radiofármacos é uma área bastante complexa, e por isso bastante motivadora, que implica conhecimentos de diferentes áreas científicas: Química, Biologia, Medicina, Física e Bioquímica. Desta cooperação vão concerteza surgir no próximo milénio substâncias radioactivas capazes de diagnosticar e/ou tratar doenças ainda incuráveis.

Marcação: António Paulo e João Galamba Correia
Tel: 21 994 60 00 ou e-mails: apaulo@itn.pt, jgalamba@itn.pt

5. "A energia nuclear" (Nuno Barradas)
Todas as actividades humanas dependem da energia. Desde fábricas, transportes e iluminação até televisões, walkmans e computadores, toda a vida moderna necessita de quantidades crescentes de energia. A maior fonte de energia é hoje em dia dada pelos combustíveis fósseis não renováveis: petróleo, gás natural, carvão, cujas reservas mundiais são limitadas. Impõe-se procurar fontes alternativas, que tanto podem ser as energias renováveis (solar, eólica, e do mar), como a energia nuclear. Enquanto que neste momento não há uma opção pela energia nuclear em Portugal, e foi posta em causa noutros países depois do acidente de Chernobyl, é largamente utilizada por países da União Europeia, incluindo a Espanha. Vamos falar sobre o que é a energia nuclear, como se produz, quais as suas vantagens, e quais os seus riscos.

Contacto: Nuno Barradas
Tel: 21 994 60 00 ou e-mail: nunoni@itn.pt

Comissão interdepartamental de organização:
António Falcão (Física), António Gonçalves (Química), José Marques (Reactor) e Romão Trindade (Protecção), coordenada por José Salgado (CC-CC).